Nossas crenças

O mundo tem as pessoas e a tecnologia necessárias para resolver qualquer problema. Queremos ser o catalisador dessas soluções no âmbito da educação e do conhecimento, conectando professores a alunos, a curiosidade ao saber, a escola ao mundo.

Olimpíadas

Experiências de desafio e fascínio cultivam a autonomia e a criatividade de alunos e professores. Isso se reverte rapidamente em atitudes transformadoras na educação.

Professores

O professor tem papel central nas transformações do ambiente de aprendizagem. Sua capacitação e qualificação determinam práticas que podem revolucionar a sala de aula.

Projetos de ensino

A parceria e aproximação entre a iniciativa privada e a pública podem viabilizar projetos inovadores e democráticos de ensino e aprendizagem.

Nossa atuação

Nosso objetivo é contribuir para democratização da educação, gerando instrumentos para a promoção de ambientes de ensino desafiadores, que incentivem a autonomia e a criatividade de alunos e professores. Nossas frentes de atuação:

1 - Promoção de olimpíadas de conhecimento

2 - Fomento da aproximação entre escola e universidade por meio de cursos, workshops e treinamentos que contribuam para a integração entre a produção de conhecimento e a prática escolar

3 - Aproximação filantrópica entre a iniciativa privada e projetos inovadores no ensino e divulgação de conhecimento científico

Olimpíadas de Conhecimento

As Olimpíadas de Conhecimento existem desde o fim do século XIX em várias áreas: Matemática, Astronomia, Geografia, Física, Química, Informática, Biologia, etc. Esses eventos, apoiados pela Unesco, cumprem três nobres metas:

  • • Estimular e disseminar o interesse científico nos jovens;
  • • Desenvolver talentos e autonomia intelectual nos estudantes;
  • • Provocar transformações transversais na qualidade de ensino em todos os níveis.

Olimpíadas: vetor de transformação

Nossas contribuições

Cases
Olimpíadas Brasileira de Linguística

Desde 2015, o Instituto Vertere tem apoiado a OBL, buscando soluções e maneiras de fomentar o alcance da olimpíada ao mesmo tempo que respeita e incentiva a total liberdade de cátedra dos linguístas e professores que formam sua comissão organizadora. Conheça nossa contribuição:

1. Desenvolvimento de plataforma web, banco de questões e aplicativos para Android e iOS, que permitiram à OBL fazer uma primeira fase online, em que qualquer estudante do Brasil pode se inscrever. Desde a implantação dessa tecnologia, o número de inscritos cresce aceleradamente

2. Apoio na comunicação e na divulgação da competição, o que permitiu com que a página na OBL se tornasse uma das mais populares de linguística nas redes sociais e aparecesse em veículos nacionais e regionais de mídia e TV.

3. Apoio jurídico e financeiro, uma vez que a OBL não possuía, até então, uma estrutura jurídica formal própria. A estrutura do Instituto Vertere facilitou a estruturação formal da competição, liberando a comissão organizadora dos entraves burocráticos para que ela pudesse fazer o que faz melhor: cuidar das atividades olimpícas e do contato direto com os estudantes. Por meio desse apoio, o Instituto viabilizou a Escola de Linguística de Outono, que aconteceu em maio de 2017 na Universidade de Brasília (UnB), e a participação dos estudantes finalistas da etapa nacional na Olimpíada Internacional de Linguística (IOL), em julho de 2017 na Dublin City University (DCU), na Irlanda.

4. Na comunicação institucional, o Instituto Vertere tem somado esforços com a comissão organizadora da OBL na costura de conexão com departamentos de linguística de diferentes universidades, com diferentes escolas pelo Brasil e com setores da iniciativa privada, permitido que a olimpíada amplie suas atividades.

Olimpíada Internacional de Linguística

Com apoio do Instituto Vertere, quatro finalistas da etapa nacional, foram até a Irlanda representar o Brasil na Olimpíada Internacional de Linguística (IOL), em julho de 2017 na Dublin City University (DCU). Na ocasião, Gustavo Palote da Silva Martins, de Londrina (PR), recebeu uma menção honrosa, como um dos destaques individuais na competição, que contou com a participação de 176 estudantes de vários lugares do mundo.

Fonte:G1